domingo, agosto 07, 2005

" (...) Quanto mais eu sinta, quanto mais eu sinta como várias pessoas,
Quanto mais personalidades eu tiver,
Quanto mais intensamente, estridentemente as tiver,
Quanto mais simultaneamente as sentir com todas elas,
Quanto mais unificadamente diverso, dispersadamente atento,
Estiver, sentir, viver, for,
Mais possuirei a existência total do universo,
Mais completo serei pelo espaço inteiro afora (...) ".

Álvaro de Campos

segunda-feira, agosto 01, 2005

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."

Trecho do Poema "Tabacaria" - Álvaro de Campos
"O inferno são os outros" - J.P. Sartre